TERRA DE CULTURA

O concelho de Baião apresenta valores patrimoniais notáveis, panoramas surpreendentes, costumes e tradições que enriquecem e particularizam esta zona do país.

Escritores como Camilo Castelo Branco, Alves Redol, Agustina Bessa-Luís, Soeiro Pereira Gomes e Eça de Queiroz – que eternizou a paisagem do concelho no romance A Cidade e as Serras – e, ainda, o escritor de literatura infanto-juvenil António Mota, referenciam amiúde esta paisagem nas suas obras. 

A Fundação Eça de Queiroz, os dólmens da Serra da Aboboreira, o mosteiro de Santo André de Ancede, o vastíssimo património religioso, o artesanato, os pequenos núcleos museológicos e os centros interpretativos convidam-no a visitar Baião.



Recorrendo aos materiais que a natureza proporciona, os artesãos criam diversos utensílios, moldando cada objecto às suas necessidades domésticas e agrícolas. Combinando mestria e engenho, com perícia e espiritualidade, tornam cada...

O pelourinho da Teixeira, localizado na freguesia de Teixeira, assinala a autonomia deste antigo concelho, que teve foral outorgado por D. Manuel em 17 de Julho de 1514, e que foi extinto em 1836. Ergue-se sobre quatro degraus,...

O património religioso baionense é rico e diversificado. Para além do Mosteiro de Santo André de Ancede, são inúmeras as igrejas, ermidas e capelas que se encontram espalhadas pelo concelho e que ao longo do tempo ajudaram a construir...

Fonte de inspiração para o romance “A Cidade e as Serras”, a Casa de Tormes, hoje sede da Fundação Eça de Queiroz, possui uma forte componente museológica, preservando o espólio do escritor e mantendo vivo o cenário que Eça conheceu e...

Baião é um concelho rico em história, em cultura popular, em gastronomia e vinhos, mas também é uma terra de escritores. Ao longo do tempo, homens de letras nasceram em Baião, outros se fizeram filhos adotivos deste concelho, porquanto...